terça-feira, 28 de junho de 2011

Ao olhar o pôr do sol

Sonhado por Karynha às 15:43
E aí? 
7 Comentários


Não existe nada tão único quanto estar aqui...
Girando e girando sem ficar tonta, olhando você desaparecer no horizonte,
enquanto seus raios pincelam de laranja-amarelo esse céu azul.
Silêncio...
Meus sentidos adormecen nesse instante,
no êxtase inebriante do seu final trágico,
fecho os olhos e o sorriso de deleite decora-me a face.
Quero guardar esse instante eternamente.
E eu vou leva-lo sol, aonde quer que eu vá, pode mandar a chuva Deus,
que ele vai brilhar aqui e aonde quer que eu vá, por que eu vou levar o sol.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Dizer adeus

Sonhado por Karynha às 15:05
E aí? 
2 Comentários

Algum dia qualquer...
numa tarde cinza...
eu direi adeus,
eu sei que deixarei meu coração na estrada
e levarei meus passos para caminhos que jamais conheci,
mas precisarei...
então numa manhã de inverno eu direi adeus,
desejando infinitamente que o caminho se prolongue um pouco mais...
onde eu já não possa mais andar
e já não me haja fôlego...
apenas para estar distante...
Eu não poderei mais ficar... sentada olhando os sonhos voarem.
Então eu direi adeus.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Mar de junho

Sonhado por Karynha às 14:59
E aí? 
1 Comentários


São dias frios... Vento gelado e meus olhos parados no mar de junho.
As águas geladas molhando meus pés,
deixam marcas na areia, o céu confunde-se num branco cinza indeciso.
Nada é como antes aqui nesse frio
nem as lembranças que contradizem a minha razão...
Fechem-se olhos, deixem a paisagem perder-se sozinha, que a saudade sorri indiferente
da nossa melancolia, enquanto a dor aqui dentro maltrata esse peito sombrio.
Aquietem-se cabelos negros vadios, deixem o vento trilhar seu caminho,
que a carícia de seus dedos gelados me causa arrepios,
detenham-se passos que afundam calmos nessa areia que nos cobiça,
deixe as águas desse mar molhar-lhe a face e inundar-lhe os lábios com seu beijo incomum.
Retorne alma minha,
que deixou-me vazia de mim mesma,
com coração que balança sem rítimo e sangue frio que vagueia-me as veias.
Deixe o mar de junho alma minha e retorne ao peito meu,
amar o amor que é seu e o tempo em que ainda somos amantes, antes que o sol,
viajante errante desses caminhos infinitos,
aqueça esse frio Adormecido
e leve-nos de volta
à realidade que sempre nos pertenceu.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Seu abraço.

Sonhado por Karynha às 05:09
E aí? 
3 Comentários


Só eu sei o que sinto quando você me abraça, além do seu perfume
único que fica grudado na minha blusa,
é engraçado porque eu sempre fecho os olhos
e nenhum de nós dois quer deixar o outro ir,
só quer estar ali e pronto,
em frente ao meu portão esquecendo que o mundo existe
e que as horas estão passando,
embora já tenhamos parado de senti-las desde o primeiro olhar.
Parece que a gente esperou a vida inteira por esse abraço,
talvez todo mundo tenha que encontrar o abraço certo um dia, a gente
sem querer já encontrou, quando não esperávamos e
nem se quer imaginavámos que "eu e você" poderia mesmo ser algo real.
Então eu fico ali, perdida nos seu braços,
como uma menina que acabou de conhecer o mundo, com o rosto encostado no seu peito ouvindo seu coração bater depressa demais...
Eu sinceramente chego a acreditar que não existe nada melhor do que esse abraço... Então você me beija... E o mundo pára de vez
num impacto absurda e lentamente mudo, as coisas reais explodem
e a melodia inconfundível da nossa canção invade meus pensamentos
que a essa altura já nem são mais meus... Eu sei que mesmo que eu quisesse entrar as minhas pernas não me obedeceriam... Então eu decido ficar um pouco mais, perdida ali em meio aos seus lábios, achando que o mundo é algo totalmente alheio ao que realmente somos.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Me diz amor...

Sonhado por Karynha às 14:48
E aí? 
2 Comentários

Às vezes eu quero fechar os meus olhos... sim eu tento fugir
quando você me diz que tem medo de se machucar...
o mundo lá fora é tão estranho e eu nao vejo problema algumn
porque você está aqui,
mas sim baby às vezes eu quero fechar meus olhos
para não ver que os seus
fitam tristemente os lábios úmidos do horizonte,
não quero me sentir sozinha outra vez, quando talvez você achar
que meu sorriso não é bem o que você sempre quis..
só me diga que nada lá fora te assusta
por que eu estou aqui agora meu amor
olhando você...
e eu sei que pode ser assim para sempre...
 

Um pouco além Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting